O método de construção rápido e inovador da construtech Brasil ao Cubo amplia UTI do Hospital Municipal Vila Santa Catarina, na zona sul de São Paulo,  com 40 novos leitos de UTI que foram entregues nesta sexta, 30 de abril de 2021.

Brasil ao Cubo

Novo anexo do Hospital Santa Catarina foi construído pela Brasil ao Cubo

Construído em 40 dias, o novo anexo, que conta com dois pavimentos e cerca de 1.120 m² de área construída, ficará de legado após a pandemia, já que é uma obra permanente, diferente dos hospitais de campanha. A obra foi concluída neste pequeno espaço de tempo graças ao sistema construtivo utilizado pela empresa, que consiste em fabricar a obra fora do terreno, com hidráulica, elétrica, esquadrias, gases medicinais e todos os acabamentos, tudo em um ambiente industrial com controle de qualidade, redução de desperdícios e maior agilidade nos processos. Depois de fabricada, a obra é transportada para o terreno, fazendo com que o tempo e o impacto no local sejam extremamente reduzidos.

O principal desafio deste projeto foi garantir que todos os módulos construídos pela empresa pudessem ficar alinhados com a construção existente, onde seriam acoplados na laje do hospital. Para isso, a Brasil ao Cubo utilizou serviço de topografia e recriou a área existente em São Paulo na sua fábrica, em Tubarão, Santa Catarina, marcando pontos e executando os módulos alinhados às marcações que indicavam a construção existente em São Paulo. “Com a utilização desta tecnologia, garantimos, com precisão, o alinhamento dos módulos com a construção que já existe no local”, afirma Ricardo Mateus, CEO e fundador da Brasil ao Cubo.

A obra ocorreu em duas frentes de trabalho paralelas: enquanto os módulos estavam sendo fabricados dentro da fábrica da Brasil ao Cubo, no local da obra, em São Paulo, a construtech preparava o local para receber os módulos vindos de Tubarão e realizava a construção do primeiro pavimento com estrutura metálica. Uma das vantagens proporcionadas pelo sistema construtivo utilizado pela empresa é a possibilidade de trabalhos paralelos na fábrica e no canteiro de obras, contribuindo para a redução expressiva do prazo de entrega.

Em mais uma obra destinada ao combate da pandemia do novo coronavírus, Ricardo destaca que em tempos difíceis é preciso fazer mais e buscar soluções em prol da sociedade. “Participar de projetos como este é de extrema importância para a Brasil ao Cubo, pois com a velocidade e excelência de nossas construções, trazemos uma solução assertiva para minimizar o impacto do vírus em nosso país”, completa.

Os novos leitos de UTI serão destinados como legado aos pacientes oncológicos e transplantados, aumentando a capacidade operacional para pacientes críticos, permitindo o aumento do escopo da unidade hospitalar. A obra contou com o financiamento das empresas Gerdau, Suzano, BTG Pactual e Península Participações, além da participação do Hospital Albert Einstein – que fará a gestão do local -, e da Prefeitura de São Paulo.

Serviço:
Brasil ao Cubo
brasilaocubo.com
@brasilaocubo