O sistema de Sprinklers atua logo no início do incêndio e de forma automática. Quando um incêndio é combatido rapidamente, as consequências para a vida são muito menores, já que possibilita a fuga para os ocupantes do local.

ABSpk

O incêndio é, necessariamente, uma reação química que consome oxigênio e libera gás carbônico, logo, o combate rápido ao incêndio garante oxigênio para a respirabilidade das pessoas, atenua os efeitos das altas temperaturas e permite a visibilidade para uma evacuação segura do ambiente. As chamas demoram, em média, menos de quatro minutos para tomar um local.

A probabilidade de as pessoas sobreviverem em ambientes protegidos por sistemas de sprinklers aumenta significativamente. No entanto, ainda há locais que não utilizam esse sistema. No dia 21 de fevereiro de 2003, aconteceu um incêndio no Station Nightclub, nos EUA. No caso, as chamas foram causadas pela ignição por fogos de artifício da banda, que se propagou rapidamente pela espuma de isolamento que estava exposta na estrutura do local, que não contava com sistema de sprinklers ou saídas de emergência eficientes. O acidente resultou em 100 mortes.

Dez anos depois, presenciamos aqui no Brasil um caso muito parecido. No dia 27 de janeiro de 2013, acontecia a tragédia da Boate Kiss, com as mesmas características que a do clube noturno norte americano. Dessa vez, 242 pessoas perderam a vida.

O NIST (Nacional Institute of Standarts and Technology conduziu um ensaio reproduzindo fielmente o ambiente da boate Station Nightclub, dessa vez, com e sem proteção por um sistema de sprinklers. Para isso, foram instalados sensores a 1,40m de altura que mediam:
1. Temperatura, o limite letal é de 120ºC
2. Monóxido de carbono, limite letal é acima de 4%
3. Oxigênio, limite letal é abaixo de 12%.

No ensaio, em apenas 25 segundos após o início do incêndio, os sprinklers começam a se abrir. Com um minuto e seis segundos, a temperatura no local com sprinklers se mantém constante em 20°C, taxa de monóxido de carbono em 0% e oxigênio em 20%. Já no ambiente sem o sistema, com o mesmo tempo de cronômetro, a temperatura já atingia 100°C. Depois de um minuto e vinte e segundos, o termômetro batia 500ºC a 1,4m de altura e superou 700ºC no teto, a taxa de oxigênio chega aos 2%, se tornando letal, e o monóxido de carbono chega ao perigoso nível de 4%. Esse cenário já tira toda a possibilidade de fuga ou sobrevivência.

Similar aos dois casos, ainda em 2003, no dia 17 de fevereiro, pouco tempo antes do caso da boate Station, a casa noturna Fine Line Music Café, em Minneapolis, nos Estados Unidos, também pegava fogo por ignição causada por fogos de artifícios da banda. Em função da instalação do sistema de sprinklers no estabelecimento, não foi registrado nenhum óbito. Em termos de proteção à vida em casos de incêndio, o sistema de sprinklers é, sem nenhuma dúvida, o mais eficiente!

Ainda há quem diga que um sistema de Sprinklers protege apenas o patrimônio, mas para Felipe Melo, presidente da ABSpk, proteção aos bens e à vida estão diretamente ligados. “Precisamos falar mais sobre prevenção de incêndio como um aliado nas construções. Afinal, a instalação desses sistemas apresenta um investimento, cujo valor é baixo se comparado com a proteção eficaz que oferece. Porém, antes de tudo isso, é preciso parar a discussão sobre o que é mais importante preservar, se a vida ou patrimônio. Porque, obviamente, preservar a vida é fundamental, entretanto, na medida em que preservamos o patrimônio com sistemas eficazes como o uso de sprinklers, por exemplo, vamos diminuir a geração da fumaça tóxica que, de forma geral, é responsável por causar a morte das pessoas. Então, a conclusão é que se preservarmos o patrimônio, estaremos, sim, salvando vidas”, completa Felipe.

Serviço:
ABSpk – Associação Brasileira de Sprinklers
tel.: (11) 3717-9111
abspk.org.br
@abspk_brasil

 

Sua conexão com o Arqbrasil