Juliana Lahóz Arquitetura comenta sobre a importância da estrutura nos ambientes corporativos
Ambientes

Ambientes corporativos devem considerar o bem estar dos funcionários

Se você não é adepto do ‘home office’, provavelmente deve passar mais tempo no trabalho do que na sua própria casa, certo? E nada mais justo do que ter um local confortável, com toda a estrutura e ergonomia para realizar as tarefas diárias. Ao projetar ambientes corporativos, é preciso colocar todas necessidades da empresa no espaço disponível, atendendo as legislações e normas do trabalho.

Segundo a arquiteta Juliana Lahóz, as normas do trabalho exigem que o local apresente estações de tamanho adequado, cadeiras com regulagens específicas, boa iluminação e temperatura entre 22º e 23º C. “Atendendo essas características do local de trabalho, o funcionário se sente melhor e tende a render mais para a empresa”, explica a profissional.

Independente se a empresa tem um perfil mais formal (como escritórios de advocacia) ou informal (agências de publicidade), o colaborador deve estar bem instalado e sentindo-se bem. A arquiteta comenta que no Brasil muitos escritórios ainda não estão cientes desses fatores e tendem a não investir tanto na estrutura, quando na verdade, esquecem que o bem estar do funcionário está diretamente ligado à produtividade e ao lucro para a empresa.

E qual seria a estrutura de um escritório ideal? Além das normas do trabalho, sistemas como piso elevado, forro modular e divisória piso-teto (mesclado com transparência em locais estratégicos) fazem toda a diferença. É preciso estar atento também com a acústica do local, para que os ruídos do ambiente não interfiram na concentração do funcionário. O recomendado nesse caso é criar divisórias ou até mesmo ilhas, de acordo com as atividades da empresa. Seguindo essas orientações, o conforto dos colaboradores será garantido e comprovado pelos bons resultados.

Serviço:
juliana Lahóz Arquitetura
CAU: A28553-6
Avenida Nossa Senhora da Luz, 499,Curitiba, PR
www.julianalahoz.com