33_jomartinsAlém da beleza, a funcionalidade e praticidade são dois fatores importantes no momento de escolha entre o uso de cortina ou persiana no ambiente. Ambas controlam a luminosidade, conferem aconchego e dão privacidade. Porém, podemos encontrar no mercado diversos modelos de cada produto, cada um com sua especificidade.

As persianas são produzidas a partir de metal e madeira, e oferecem a opção de basculamento, que auxilia no controle da luminosidade e também na entrada de ar. Já as cortinas confeccionadas com tecidos oferecem uma estética diferenciada, que complementa o décor do espaço. São os diversos tecidos e materiais, mecanismos de abertura e fechamento, tonalidades e sistemas de automação, que tornam a escolha do que usar mais particular.

Segundo Joselane Martins, proprietária da empresa Jô Martins, especializada na venda de persianas e cortinas Hunter Douglas-Luxaflex, hoje em dia não há uma indicação específica de um produto ou outro para um cômodo. Tudo depende da necessidade do cliente.

O arquiteto Jorge Elmor aposta nas persianas como uma opção contemporânea que agrega características estéticas e funcionais, e que se adequa a linha racionalista dos projetos atuais. “Os espaços contemporâneos, com grandes vãos e pé direito duplo, pedem soluções que se integrem à arquitetura e tenham facilidade no acionamento e manutenção. A alta tecnologia empregada na fabricação das persianas possibilitou a criação de modelos para fechar janelas de até 5 metros com uma peça só”. O profissional acrescenta ainda que a limpeza e manutenção das persianas também é muito simples. Em sua maioria, as peças são de tecidos sintéticos, resistentes e laváveis.

Para a empresária, o grande diferencial entre os dois produtos é a durabilidade, tanto da peça, quanto do mobiliário que compõem o ambiente onde esta se encontra. “A cortina confeccionada por atelier de costura não foi elaborada para bloquear o sol, portanto, com o tempo, o piso, móveis e tapetes vão desbotar. O tecido quando em exposição por um longo período rasga e estraga. Já a persiana foi desenvolvida em laboratório, e passou por vários testes de durabilidade, protegendo contra os raios UV e oferecendo maior conforto e praticidade”, pontua Jô.

Com uma extensa gama de modelos, as persianas se adequam a qualquer projeto. Mas, antes de escolher, há alguns aspectos que devem ser levados em consideração: “Antes de escolher a sua persiana pondere todos os aspectos físicos como transparência, resistência aos raios UV, retenção de pó e gordura, absorção do som, resistência ao fogo e durabilidade. Pondere também os modelos de acionamento, que podem ser manuais, por cordas, botões automatizados ou controles remotos”, explica Elmor.

As persianas prometem ser a opção dos profissionais de arquitetura e decoração para o ano de 2013. Com uma linguagem mais moderna e minimalista, as peças atendem aos anseios da nova arquitetura.| JôMartins