Arquiteta Marina Debasa fala sobre como receber bem os clientes através da arquitetura comercial

Arquitetude

O perfil de compra dos brasileiros tem mudado muito nos últimos anos. Isso faz com os comerciantes tenham que se adaptar a esses novos públicos. Consumidores que não estão somente interessados em preços baixos, mas também em produtos com qualidade, em atendimento personalizado e em ótimos espaços de compra.

A arquiteta Marina Debasa, sócia do escritório Arquitetude e especialista em arquitetura comercial, explica que os consumidores têm procurado muito mais por boas experiências de compras. “As pessoas chegam às lojas e esperam encontrar ambientes bonitos, bem iluminados e pensados para receber bem os clientes, e não simplesmente montados para vender”.

É por isso que temos visto lojas com vitrines cada vez mais ambientadas e vãos de entrada maiores. “O que fica na frente da loja convida as pessoas a entrar. Portas grandes e que são mantidas sempre abertas são muito convidativas, assim como a apresentação de ofertas logo na entrada da loja. Em tempos de crise, mostrar ao cliente que ele pode ter uma boa experiência de compras e ainda economizar é um forte diferencial”.

Marina explica que a circulação na loja também é importante. “Quando o cliente consegue ver de fora da loja que é fácil andar por ela e que ele encontrará tudo o que precisa, isso aumenta muito a probabilidade da pessoa entrar. Além disso, uma circulação que faça sentido também ajuda a gerar vendas de ocasião”.

A arquiteta lembra que, tão importante quanto mostrar aos clientes o que eles querem ver é esconder o que não é muito agradável. “Como pagar nem sempre é a parte mais legal de fazer compras, colocar o caixa no fundo e fora das vistas é uma boa saída, além de ser uma medida de segurança importante”.

Ela também lembra que os provadores não costumam ser áreas esteticamente interessantes, mas são fundamentais para a maioria das lojas, pois é o espaço em que acontece a maioria das decisões de compra. “Ter um espaço mais reservado para os provadores é importante para gerar vendas e fazer com que o cliente sinta que sua intimidade está sendo preservada”.

Marina lembra ainda que comerciantes que não começarem a pensar em ter projetos de arquitetura mais personalizados para suas lojas poderão ter muitos problemas. “Os consumidores estão buscando por lojas em que eles possam ter uma ótima experiência de compras, e isso começa pelo próprio ambiente. Portanto, investir na arquitetura da loja certamente está se tornando um diferencial”.

TomeNota:
Arquitetude / Marina Debasa
(21) 3417-0551
http://arquitetude.com.br


<-Voltar