Iluminação com equipamentos externos providos com sensores de luz auxiliam na proteção do local
iluminação

Refletores Brilia para iluminação externa, disponíveis na Irmãos Abage

A iluminação externa de segurança está entre os itens indispensáveis na lista de prioridades para proteção residencial. Um projeto luminotécnico bem planejado é imprescindível para garantir tranquilidade aos moradores, aponta a arquiteta Monica Raeder. Só em Curitiba, de acordo com a Coordenadoria de Análise e Planejamento, da Secretaria de Estado da Segurança Pública, baseada nos boletins de ocorrência emitidos, a preferência por assaltos no início da manhã ou no período noturno é muito superior aos outros horários. Um grande número de roubos, em torno de 50%, acontecem entre 20 e 23 horas.

Uma ação que ajuda a reduzir o índice de infrações é investir na iluminação do local. “As casas devem ter uma claridade condizente com a estrutura nas garagens e entradas principais, inclusive nos portões de entrada para identificação de pessoas e veículos no período noturno”, destaca Jeferson Nazário, presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Paraná (SINDESP-PR).

Para tornar o projeto ainda mais eficiente, uma boa dica é aliar iluminação a um bom sistema de vídeo para que o morador não se exponha antes de identificar as pessoas ou veículos que chegam à residência em horários noturnos, comenta Monica. Já quem acredita que deixar as luzes externas ligadas durante a noite (quando viaja) é uma boa ideia para enganar ladrões, está enganado. Luzes acesas do lado de fora demonstram claramente aos meliantes que a casa está desabitada. “O mais eficiente é deixar uma ou duas lâmpadas internas ligadas na ausência dos moradores, dando a impressão de atividade dentro da casa”, explica.

Segundo Alessandra Abage Gomes, proprietária das lojas de iluminação Irmãos Abage, há novidades para segurança fotoelétrica que vão desde luzes de baixa voltagem, para iluminar caminhos e passeios, até holofotes com sensores de movimento. Combinar sistemas pode trazer, além de segurança, economia para o bolso e reduzem o consumo de energia para apenas os momentos necessários. Exemplo disso são os sensores de movimento com sistema de fotocélula, que acendem no período da noite ou na presença de alguém, e as lâmpadas fluorescentes compactas, as quais têm uma vida útil maior que as tradicionais. Há também os refletores em LED, econômicos e de grande durabilidade, eles são feitos para atuarem junto com os sensores.

Monica reforça a importância da iluminação de segurança. Para ela é preciso estar muito atento e verificar se não tem nenhum ponto obscuro, onde o intruso pode se esconder mesmo com todos estes sistemas acionados. Além disso, para garantir a segurança de seus clientes, Monica também investe na iluminação por presença que, quando colocada na garagem, por exemplo, permite visualizar os acessos antes de sair do veículo. Nas residências mais modernas os usuários ativam o sensor da frente e da garagem quando estão chegando por meio de aplicativos de celular.

Mas não basta apenas ter a melhor tecnologia, “o ideal é que os equipamentos estejam protegendo as áreas que realmente necessitam de mais iluminação”, explica Alessandra. A dica é: opte por produtos com o selo Procel, eles foram testados e aprovados pelo Inmetro e preenchem todos os quesitos de segurança estabelecidos pelo órgão. | IrmãosAbage