O desenvolvimento sustentável é a principal forma de garantir um futuro de qualidade para as próximas gerações. A indústria da arquitetura e da construção atenta a essa realidade busca desenvolver materiais que não agridam o meio ambiente. Um exemplo de material ecologicamente correto é o PVC que garante, entre outros benefícios, o isolamento térmico e a economia de energia. Michael Lochner, gerente de marketing da Weiku – empresa catarinense especializada em esquadrias de PVC de alto padrão – explica quais os diferenciais e vantagens desse material.

Michael Lochner, gerente de marketing da Weiku

Michael Lochner – A matéria-prima, o sal marinho, é um recurso inesgotável na natureza e representa 57%, em peso, das resinas de PVC. Depois, o PVC é 100% reciclável, tendo atingido índice de reciclagem, médio, de 16,5% no Brasil, acima da média da União Européia, cerca de 14,5%.

Economizar energia é outra necessidade mundial. De que forma o PVC contribui para essa economia?

Michael – A grande contribuição do PVC está no seu elevado potencial de isolamento térmico. Especialmente na aplicação do produto em setores fundamentais para o desenvolvimento humano: construção e arquitetura.

Qual é a capacidade de isolamento do PVC e como isso contribui para a sustentabilidade?

Michael – No caso das janelas de PVC, seu poder de isolamento térmico é pelo menos três vezes maior que as janelas de alumínio comum. Isso leva a uma economia que chega à metade da energia consumida por equipamentos elétricos para aquecer o ambiente no inverno ou resfriá-lo no verão.

Sabemos que o produto de PVC é reciclável. Quantas vezes é possível reciclar o PVC?

Michael – Os principais perfis Weiku são feitos com matéria prima 100% virgem. A vida útil de uma esquadria é de aproximadamente 40 anos. Devido a esse fato nenhuma esquadria produzida pela Weiku até hoje foi reciclada.

O que se faz no Brasil é a reciclagem mecânica, que transforma o produto de PVC em um novo, sem processo químico. Como funciona?

Michael – Após o processo de lavagem e moagem o PVC está reciclado. Existe também o processo químico, que ainda está em desenvolvimento nos países mais ricos, estando na frente a Alemanha e o Japão. A indústria de reciclagem do PVC no Brasil tem um nível operacional de 75%, ou seja, ela é 25% ociosa. Há um déficit de resíduo a ser reciclado, devido à falta de coleta seletiva nas cidades brasileiras. Entre 100 e 150 cidades brasileiras têm algum sistema de coleta seletiva que, dificilmente, atinge a região por completo. São mais de 5,5 mil municípios, portanto é uma realidade muito aquém da necessidade.

Como a construção civil pode contribuir para a reciclagem do PVC?

Michael – Na construção civil se fala que para cada três prédios levantados, um é jogado fora em forma de resíduos. Uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) regulamenta como cada parte da construção deve destinar os resíduos gerados. Sendo respeitada ou não, essa resolução mostra que o setor tem consciência das suas responsabilidades.

De que forma a Weiku contribui diretamente para este processo de construção de uma sociedade mais sustentável?

Michael – Realizamos treinamentos para os colaboradores sobre a importância da reciclagem e separação do lixo e palestras a estudantes de arquitetura e engenharia civil sobre a importância da construção sustentável e como o PVC se encaixa nesse tema. Também trabalhamos com orientações e dicas através de nossas mídias sociais.

Como é a aceitação e até a iniciativa dos construtores pelo uso do PVC? Os custos são mais altos do que outros materiais, porém você vê que a indústria está mais atenta à responsabilidade social e driblando essa questão financeira?

Michael – Infelizmente a utilização das esquadrias de PVC ainda não é tão frequente no Brasil, justamente por ter um custo inicial um pouco mais elevado.

Ainda falta conscientização por parte dos consumidores em relação aos benefícios de usar esse material. Mas o cenário esta mudando, principalmente porque existe uma preocupação relacionada ao meio ambiente e as gerações futuras. A sustentabilidade virou moda e a indústria da construção civil está se adaptando a essa prática.| Weiku

Jiz/11/ago/2013