Coloração correta e coloração incorreta

Coloração correta e coloração incorreta

Cromazurol é o nome de um reagente colorimétrico que permite à Usina de Preservação de Madeira (UPM) verificar se a distribuição do preservativo na madeira tratada em autoclave está homogeneamente adequada. Esta verificação é muito importante porque a madeira tratada industrialmente precisa atender a dois parâmetros básicos de qualidade. Um deles é o nível de retenção do preservativo previsto em norma técnica, o outro é sua distribuição na madeira.

O nível de retenção só pode ser identificado com exatidão por meio de ensaios laboratoriais padronizados em amostras de madeira tratada. Para isto a Montana disponibiliza, sem custos para seus clientes, o “Programa de Qualidade 72 Horas”. Verificar a distribuição do preservativo é bem mais fácil com uso do Cromoazurol. O teste é eficaz em qualquer tipo de madeira submetida a processo de tratamento industrial. A catarinense TerraSol Madeiras Ecológicas, por exemplo, adota e recomenda o teste com o reagente colorimétrico. “Faça o teste e comprove! Agora ficou fácil comprovar a diferença e constatar onde está a qualidade”, afirma a empresa em mensagem ao mercado.

O Cromazurol identifica com segurança o nível da distribuição do preservativo na porção de madeira tratável. No caso de pinus corresponde a 100% do material; no eucalipto limita-se ao alburno. O procedimento deve ser feito após a cura completa do preservativo. Inicialmente procede-se a um corte transversal na madeira, a 50 centímetros de uma das extremidades da tora. Em seguida borrifa-se o Cromoazurol no topo recortado e, onde houve penetração do preservativo, a madeira adquire a coloração azulada do reagente. No caso do eucalipto, o cerne, uma porção de madeira não tratável, terá coloração avermelhada. Somente o alburno ficará azulado. Nas porções tratáveis, se a tonalidade azulada tiver uma distribuição uniforme, é indicação segura de que a madeira está bem tratada do ponto de vista da distribuição do preservativo.

Finalmente, é importante observar que a madeira tratada pode apresentar três níveis diferentes indicativos da qualidade para o tratamento industrial. No primeiro ocorre penetração profunda e regular, o que é considerado bom. No segundo, ela é profunda, mas irregular, resultado médio. No terceiro, a penetração é parcial e irregular, ou seja, ruim. Porém, resultados indesejados podem ser resolvidos reduzindo-se o teor de umidade da madeira abaixo de 30%, em ambiente natural, para em seguida submetê-la a novo tratamento em autoclave. Este é o primeiro passo para implementar um controle de qualidade efetivo na própria UPM.

Silvio Lima, gerente comercial da Montana Química| MontanaQuímica