Skip to main content

Ambientes hospitalares humanizados

A renovação na composição de elementos hospitalares a um custo acessível traz benefícios a todos, segundo arquiteta Priscilla Bencke, especialista em neuroarquitetura

Priscilla Bencke

Ir à um hospital nunca é uma experiência agradável, seja como acompanhante ou como paciente. Até a pessoa mais tranquila pode sentir certo desconforto ao ver todas aquelas paredes brancas, médicos perambulando pelos corredores, pessoas doentes e cheiro de remédios. Algumas pessoas chegam até mesmo a desenvolver nosocomefobia, o medo extremo de hospitais.

Encontrar soluções e apontar análises sobre a composição do ambiente hospitalar é sempre um desafio, mas, segundo a arquiteta Priscilla Bencke, alguns hospitais já encontraram formas de aplicar a neuroarquitetura neste ambiente tão carente de infraestrutura adequada e que trouxeram benefícios para a saúde de pacientes e motivação e resultados por parte de todos os colaboradores: de médicos a enfermeiros, de administradores a pessoas da área operacional, da limpeza à segurança, do escritório administrativo ao estacionamento. Leia+Mais→

O espaço de trabalho humanizado

Segundo Priscilla Bencke, na arquitetura a humanização busca centralizar a necessidade humana por meio de ambientes enriquecedores, vivos e saudáveis

Priscilla Bencke

Muitas pessoas enxergam a arquitetura dos ambientes apenas pelo valor estético, sem se preocupar com a saúde e qualidade de vida dos profissionais que irão trabalhar nesses espaços. Porém, a falta de cuidado em projetar ambientes mais “humanos” pode ser considerado um alto risco para as empresas. Segundo a arquiteta especialista em ambiente de trabalho, Priscilla Bencke, um espaço de trabalho não deve zelar somente pela boa aparência, mas deve garantir o bem-estar, a segurança e a saúde dos colaboradores. Leia+Mais→